Livros, fotos e outras cositchas más!

Continuando na linha de mudar a cara do blog, vou falar um pouco sobre as coisas que tem passado por aqui.

Desde o início das minhas ditas últimas férias escolares, tenho feito bastante coisas que há muito não fazia.

Um bom exemplo é que consegui retomar a leitura, e de forma quase que impressionante para mim que durante a facul quase não li muitos livros fora os da faculdade, terminei só em dezembro três livros. Tá certo que “Quem mexeu no meu queijo” seja apenas um livreto e fui capaz de lê-lo em algumas horas pela manhã di dia 31 de dezembro, mas ainda sim é um dos best-sellers aí da década, né?!

Li também um livro que consegui emprestado de um amigo meu, chamado “A incrível viagem de Shackleton”. Foi o melhor das minhas férias até agora. É engraçado que este livro, tanto como o do queijo aí de cima, fala sobre liderança e julga/cita o navegador Shackleton como o maior líder de todos os tempos. Não quero trazer spoillers do livro aqui, mas pra um cara que passou 2 anos a deriva no mar antártido nas condições presentes na época, merece sim este adjetivo de grande líder. E talvez liderança seja a palavra chave que guie meus dias por todo esse ano, tomar o rumo profissional na minha vida, terminar a faculdade e por aí vai.

O “Quem mexeu no meu queijo” faz o estilo auto-ajuda mas de uma forma a traçar perfis perante mudanças. Mudança, que pra mim também é uma palavra que assombra o meu ano. E liderança no “A incrível viagem de Shackleton”.

Foram livros escolhidos ao acaso que por acaso fizeram diferença no meu modo de pensar.

O terceiro livro que li  antes que o ano terminasse, esse eu prefiro não divulgar aqui no blog, pois acredito que não seja de teor relevante aos que aqui buscam sobre odontologia e suas peripécias. Mas meus íntimos sabem muito bem deste livro, pois fiz muita divulgação boca-a-boca sobre.

Aí, continuando a saga literária, no momento estou terminando de ler “A Cabana”. Este tem se revelado um livro com visão cristã diferenciada do modo como vemos por aí, não que eu não seja ou  seja católico e também isso não fará diferença no que escrevo aqui. Mas, como eu ia dizendo, é um livro muito bom de ser lido (mesmo eu tendo gostado mais do prefácio que do seu desenrolar). Tem uma linguagem simples e proporciona uma leitura bem sinestésica. Do meu ponto de vista, serve mais para pais que para filhos e essa minha impressão me dá uma resposta para o tamanho sucesso desse livro nos dias de hoje!

E dentro das minhas filosofias, é uma leitura válida. Talvez eu procure relê-lo quando tiver que criar uns moleques aqui em casa.

Ainda na linha dos livros – é, eu disse que a sede por cultura não televisiva era grande (não disse? Então digo agora) – encontrei um livro que me atiçou a vontade quando o notei na prateleira. Chama-se “Beber, Jogar, F@#er” (interprete o F@#er da forma que entender melhor). É que na onda do “Comer, rezar, amar” que tenho ouvido falar tanto desde sua versão cinematográfica, um livro cujo nome traz o que melhor mais aconteceu durante essa epopéia homérica que foi a minha faculdade, de verdade, aguça a mente de qualquer homem. Digo homem porque dizem as más línguas que “Comer, rezar, amar” é, bem na linguagem “Testosterona” de ser, livro e filme pra mulherzinha.

Me surpreendi quando fiquei sabendo que a Warner(R) comprara os direitos sobre o livro antes mesmo d’ele ser publicado. Não me surpreenderia se o visse em cartaz daqui a um ou dois anos.

Daí, selecionei alguns que estão na minha wishlist, como “O lobo da esetepe”, “O guia do mochileiro das galáxias” e “REIKI, mãos de luz”. Esqueci de mencionar que estou no meio do espírita “Jóias da Alma”, que também é muito bom.

Sobre livros isso é só.

Coloquei no título “fotos”. Isso porque tem me despertado mais interesse sobre fotografia, inclusive, fotografia profissional e para o uso odontológico. Tem o blog do amigo sobre isso, o “Fotografia digital na odontologia” e é uma arte né… Se não me engano é considerada a 8ª ou 9ª arte segundo uns malucos aí. E como eu moro nas proximidades do país natal da Larissa Riquelme. Câmeras de boa qualidade a preços, digamos, melhores são mais fáceis de se encontrar por aqui.

Tive a oportunidade de fotografar com uma câmera profissional Sony (não me lembro o modelo) esses dias atrás e me surpreendi com a qualidade que uma foto bem tirada, configurando-se corretamente o ISO o foco e o tempo de exposição. Eu tenho uma mera câmera digital simples, que já é a minha terceira ou quarta, pois elas nunca duram na mão de um fotógrafo alterado alcoolicamente. ¬¬ Fazer o quê? Mas vou tentar explorar os recursos que tenho na minha.

Inclusive, encontrei um breve tutorial sobre esses assuntos e a quem possa interessar, o link segue a seguir http://www.digiforum.com.br/viewtopic.php?t=3394.

Nossa… Nessas férias, além de tudo isso que tenho lido e procurado, ainda tive tempo de melhorar minhas aptidões malabarísticas, conseguindo aprender o “Mill’s Mess” e suas variações, com bolinhas (tentarei depois com as claves). Consegui também o “Cascade” invertido e o “Shower”. Variações bem legais e vou tentar aprender mais. Adquiri na internet esse mês e está pra chegar um Swing poi de Fogo e uma bola de contato de vinil (a de acrílico além e cara, é inaconselhável para iniciates nela como eu).

Assim que eu estiver com a pratica neles, faço um vídeo e venho mostrar as minhas serelepes aventuras como malabarista. E talvez tente até umas performances na praça daqui da metrópole.

 

Tenho feito tanto que até me esqueço dos assuntos. Aproveitei pra tentar fazer meus próprios swings e dito e feito consegui costurar alguns. Não são nada profissionais, mas consegui fazer três modelos diferentes.

Bom, voltei a correr e a pedalar, e para meu azar, ontem fui fazer um trajeto de 12 km de bicicleta e a danada me tem o pneu traseiro furado no 5 pro 6 quilometro daí tive que continuar a pé. Problema nisso não há, mas anteontem fiz 8 km de corrida, aí não é tão simples quanto se parece percorrer 7 km a pé empurrando uma bicicleta com pneu furado.

E depois de tudo isso, o que mais tem preenchido minhas horas de “descanso”, além de dar uma help aqui na empresa do meu pai, é estudar pra um concurso. Sou um dos 396 (se não me engano) candidatos para as 3 vagas do cadastro de reserva daqui do TRT do Mato Grosso do Sul. E estudando percebi o quanto acertei em não fazendo a faculdade de Direito. Amigo, como direito é chato!

Administrativo, CLT e etc. não são pra mim nem na bala. Mas tenho que enfrentar esse leão aí e matá-lo. Não estou muito confiante para a prova não, porém, se não me falha a memória, na prova haverá redação e nisso o blog tem me ajudado bastante! Opinião, senso crítico e desenvolvimento da escrita são coisas que tenho tentado ter uma melhorada.

E por fim, as minhas férias já estão na metade. Diferiram de outras férias tanto pelo banho de literatura, pelo ânimo, medos e vontades.

Tenho andado com muita saudade de todos os meus amigos e de uma pessoa especial que provavelmente leia esse post, e também da minha república, de Araçatuba. Enfim, da minha vida lá. Porque a daqui já urge atrás de mim e hoje meu rango será marmitex pois meu pai e minha mãe estão fora da cidade a trabalho.

Aqui no MS são 11:45 da manhã e do outro lado do rio são 15 pra uma da tarde… E eu acho que a fome já bateu e eu vou almoçar!

Até breve!

 

Anúncios
Explore posts in the same categories: Blog, Eu curto, Faculdade, Papo de república

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: